terça-feira, 25 de agosto de 2009

Carro Anfíbio

Anda no asfalto e anda na água,
com a maior facilidade:

Excelente para as cidades que enfrentam enchentes durante as chuvas...

video

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

20 ANOS SEM RAUL


Mesmo após 20 anos de sua morte, completados nesta sexta-feira (21), Raul Seixas ainda consegue vender discos e ser lembrado pela cultura de um país sem memória, onde inúmeros artistas já passaram e se foram, caindo no ostracismo e em total esquecimento.
O segredo da imortalidade pode estar na irreverência e na imagem de rebeldia, cultivada em uma época em que ser rebelde era sinônimo de perigo para os bons costumes da sociedade brasileira. Ou então no legado musical deixado pelo compositor e intérprete que até hoje reúne diferentes gerações que gritam, em uníssono, o famoso "Toca Raul!" – frase que ficou tão célebre quando seu próprio personagem.

"Raul foi o cara que soube como ninguém misturar o rock com a música brasileira, sempre contestando, filosofando, enlouquecendo. Ninguém mais soube fazer isso", diz Sylvio Passos, fundador do Raul Rock Club (fã clube oficial dedicado à memória ao cantor).

Quem sabe bem que nenhuma outra pessoa igualava Raul Seixas naquilo que ele fazia de melhor é Roberto Seixas. Não, ele não é nenhum parente do homem, mas, a identificação é tanta, que Roberto adotou o sobrenome do ídolo.
Raul entrou em sua vida de forma bem curiosa. O primeiro contato, em 1972, foi por meio de um programa de rádio, onde tocava "Let me Sing, Let me Sing", que mesclava rock com baião. "Achei aquilo horrível, desliguei o rádio na hora", conta Roberto.
Uma nova chance, e Raul conquistou de vez um espaço na vida do rapaz que, lá pelos idos dos anos 1980, assistia encantado à uma performance do cantor no programa "Globo de Ouro", da TV Globo. A identificação foi instantânea. Naquele momento, Roberto se deu conta de qual era a missão de sua vida: ser cover de Raul. "Era uma coisa que eu tinha que fazer", diz. O ano era 1987, e desde então, o fã encarnou o ídolo, virou artista cover renomado e chegou a receber elogios do original.

Atingir diversas faixas etárias em diferentes poderes aquisitivos é para poucos, o que se torna ainda mais difícil depois de 20 anos de ausência. Roberto atribui a imortalidade do ídolo a sua atemporalidade nos assuntos abordados pela música do "Maluco Beleza", e da compreensão do Raul contestador que levam muitos fãs a se identificarem com a lenda.
"Não encontro aquela atitude nos músicos de hoje. Alguns até tentam, mas não são Raul. Em partes, isso é ruim, porque quem imita acaba perdendo a identidade", afirma Sylvio.

Legado

Raul foi embora cedo, aos 44 anos, mas deixou um vasto legado que até hoje é revivido. O músico teve uma vida intensa. Foram cinco casamentos, deixando três herdeiros e uma vasta produção musical; até discos póstumos foram lançados após sua morte, em 21 de agosto de 1989, por pancreatite aguda causada pelos seus abusos com a bebida.


A figura emblemática de Raul não estava apenas na imagem anarquista, suas polêmicas com seitas religiosas e declarações ousadas, mas também no símbolo de um ser humano que se preocupava com o andamento do mundo e as injustiças que eram escancaradas na cara da sociedade, que se calava diante de tanta repressão.

Fonte: MSN Entretenimento

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Campanha Francesa contra Acidentes

No exterior as campanhas para Segurança no Trânsito são bem chocantes.

Esse vídeo é exibido na França:

video
(clique no play)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Protótipo




Filho de mecânico, Marcio José Vaz, 48 anos, aprendeu ainda menino, com o pai, os segredos dos motores. Aos 12 anos, num tempo em que a legislação trabalhista brasileira era muito diferente da atual, ganhou o primeiro registro como profissional na carteira de trabalho. Quando deu por si, percebeu que era um apaixonado por automóveis e aproveitou para fazer da paixão uma oportunidade de se realizar e também de garantir o sustento.

Além de deixar tinindo as máquinas dos clientes, passou também a customizar, restaurar carros antigos e inventar protótipos. Foi assim, inventando, que ele colocou para circular nas ruas de Londrina e região o 4X4 que rapidinho virou seu cartão de visita: a carroceria de um gol 1995, com pintura camuflada, armada sobre o chassi - comprado em um leilão - de um jipe da extinta Engesa, empresa que tinha como foco a produção de veículos militares.

''Você nem faz ideia. Esse carro já me trouxe muito serviço'', conta Vaz, todo orgulhoso, apontando para o veículo que além do visual robusto e exótico também é bom de mecânica. O motor é o Maxion ST, utilizado na picape D20, turbinado. ''Do gol, aproveitei só a lataria. Ampliei a frente, utilizando dois capôs para fazer um, pois tinha que caber o motor, e montei todo o restante, sobre o chassi. Foi trabalhoso, mas valeu a pena. O resultado foi um protótipo muito bom e que não dá problema. A pior coisa que tem é carro de mecânico quebrado no meio da rua'', explica, bem humorado, Vaz.

Para regularizar o protótipo, ele conta que foi preciso dar baixa nos documentos do Gol e depois submeter o veículo, que ficou pronto em 2001, à avaliação de um engenheiro mecânico e do Inmetro para conseguir o documento do Detran. ''A legislação diz que todo brasileiro pode fabricar até três protótipos por ano. Basta fazer tudo direitinho para conseguir a documentação'', destaca o mecânico que no ano passado realizou o antigo sonho de se formar em Direito.

Depois de trabalhar por mais de uma década na Rua Brasil (centro de Londrina), ao lado do antigo Cadeião da Rua Sergipe, vizinho que o obrigava a abaixar as portas a cada confusão, não raras, entre presos e policiais - ''tinha medo de sobrar uma bala para mim'' - ele se refugiou, em 1999, numa chácara no bairro Bratislava, em Cambé, onde tem espaço para receber vários veículos e dar asas à imaginação.

Fonte: Folha de Londrina

Mustang terá "Edição Especial"


O Ford Mustang acaba de ganhar uma edição especial para comemorar seus 45 anos de existência.

A versão será chamada de Lee Iacocca Silver 45th Anniversary Edition Ford Mustang, e homenageia também o ex-presidente da Ford, Lee Iacocca, responsável por lançar a primeira geração do carro em 1964 em Nova York.

O projeto usa a base do Mustang atual, mas conta com um visual diferenciado e que contém traços mais próximos do original.

O Mustang de aniversário é construído basicamente à mão e pode ser equipado com o motor 4.6 V8 de 320 cv, ou, com o auxílio de um compressor, 400 cv, acoplados a uma transmissão manual de 5 marchas.

A edição especial terá apenas 45 unidades

Bisavó comemora 102 anos com volta de Trike.

Uma bisavó do País de Gales comemorou seu 102º aniversário
com uma volta de moto

(na verdade, pela foto nota-se que é um Trike e não uma moto),
e um passeio em uma Ferrari.


Connie Brown, de Pembrokshire, foi surpreendida por amigos
no dia de seu aniversário e levada para uma volta de moto
pela cidade de Pembroke.
Em seguida, embarcou em outro passeio,
dessa vez a bordo de uma Ferrari.
Depois da volta de moto, ainda de jaqueta de couro e capacete,
ela disse:
"Todos deveriam experimentar. Foi um dia lindo, nunca vou esquecer".

Em seguida, ao terminar o passeio na Ferrari, Connie afirmou
que nunca havia sonhado "com nada parecido".

Connie trabalha todos os dias em uma loja de Fish and Chips -
tradicional prato britânico de peixe com batatas fritas - da família.

Seu aniversário também marca os 81 anos de seu restaurante, o Brown's Café,
aberto com o falecido marido em 1928.





Fonte: BBC-Brasil

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Nunca pare sobre a pista

Você já deve ter visto aquela placa de sinalização dizendo: "Não pare na pista!!"

Caso você se encontre numa situação de emergência, sempre pare no acostamento, sinalize com um triângulo, ou na falta dele, sinalize com galhos, e procure não ficar dentro ou próximo do veículo.

Veja no vídeo abaixo o que acontece
quando um veículo para sobre a pista de rolamento sem sinalizar.

video
(Clique no Play)