quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Carta desesperada de um motociclista ao seu Moto Clube

Amigos!!!

Não costumo escrever “para todos” deste Motoclube, mas necessito de um conselho..

Explico o caso: desconfio que a minha esposa tem um amante pois aparece com roupas novas, relógio de marca e está estranha comigo.. Outro dia peguei o celular dela para ver as horas e ela ficou louca de raiva, gritou que eu não respeitava a privacidade dela, etc...

Diz sempre que sai com amigas que eu não conheço e chega tarde em casa, afirma que vem de táxi mas nunca vi nenhum táxi aqui na porta de casa, creio que vem de carona , salta na esquina e vem caminhando.

Decidi resolver a questão. Saí com a moto e estacionei na esquina da rua onde teria uma visão total e poderia ver com quem minha esposa pega carona. Me agachei atrás da moto e fiquei esperando..... o tempo passava e notei um vazamento de óleo na tampa da embreagem e aí surgiu a grande dúvida: basta apertar os parafusos da tampa ou é melhor trocar a junta ?

Abraços!

Alcindo.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Simulação de um Acidente

Postei abaixo um vídeo de um "crash test" com um veículo se chocando com um objeto parecido com um poste ou uma árvore.

O primeiro impacto à 80 Km/h (50 Milhas/h)

O segundo impacto à 112 Km/h (70 Mph)

e o terceiro impacto à 144 Km/h (90Mph)

A filmagem foi feita de ângulos variados.

No Segundo impacto (à 112 Km/h) o motorista já teria perdido a vida...

video

(Clique no Play)

domingo, 12 de setembro de 2010

Garupa sentado de lado











Sexta-feira passada, quando eu voltava para casa ao fim do expediente, fiz as fotos abaixo. O local é a rotatória em frente ao bar "Boteco", na Av. Paraná em Paranavaí.

Observe o número de motocicletas..... pode-se ver na foto 5 motociclistas ultrapassando pela direita , um pela esquerda, uma moto vindo em sentido contrário e outra fazendo a rotatória.

O número excessivo de motos de baixa cilindrada nos horários de rush é enorme, e os acidentes envolvendo motos idem.








Um dos detalhes que chama a atenção é que todos estão com as viseiras "abertas", o que é contra a lei, um deles inclusive está com um capacete modelo "aberto" sem óculos e sem viseira...

Agora observe uma das motos...

A senhora que está na garupa está sentada de lado...

A dificuldade em pilotar a moto com uma pessoa sentada de lado é enorme, e essa cena é comum aqui na região. Vejo cenas idênticas a essa todos os dias, inclusive na rodovia, o que é muito mais perigoso...








A uns dias atrás fiz o flagrante abaixo. Em plena rodovia, entre as cidades de Alto Paraná e Nova Esperança, próximo a balança de caminhões em Nova Esperança.

A mulher sentada de lado e segurando a saia...








E essa aqui hoje, (01.10.2010) na Av. Dep. Heitor Alencar Furtado na mesma situação:





Ontem a noite vi uma cena inacreditável: um casal andando de moto com um bebezinho dormindo em uma cesta tipo "bebê conforto" apoiado na perna da mãe que ia na garupa...infelizmente eu não estava com a máquina fotográfica, mas no dia a dia esses são apenas alguns absurdos que acontecem nas vias públicas de nossas cidades...



Essa outra fotografada em 04.10.2010 em Paranavaí:


Essa na rodovia entre Marilena e Nova Londrina em 06.10.2010:

Pedestre super atento

Graças a um reflexo muito rápido, esse pedestre salvou a própria vida.

video

(Clique no Play)

Irresponsabilidade em Duas Rodas

Recebi esse vídeo e pensei até em não postá-lo para não "dar idéia" a pessoas irresponsáveis que não tem amor a própria vida, mas mantenho esse blog pelo amor que tenho ao motociclismo e acho necessário mostrar que infelizmente existem todos os tipos de pessoas em cima de duas rodas.

Provavelmente os pais desses jovens nem imaginam o que seus filhos estão fazendo nas ruas.

(O vídeo não foi feito no Brasil)

video

(Clique no Play)

sábado, 11 de setembro de 2010

Dicas de Segurança para Motociclistas

Segue abaixo algumas dicas de segurança para Motociclistas:

Atenção à via e suas condições, principalmente àquilo que pode desequilibrar o motociclista, como pista molhada, faixas escorregadias, etc., reduzindo a velocidade e adotando maior cuidado nesses casos.

A importância de se frear adequadamente, tendo cuidado para não bloquear as rodas. Os fabricantes recomendam utilizar simultaneamente o freio dianteiro e o traseiro, lembrando que é o dianteiro que proporciona maior eficiência na frenagem.

Ser visto é fundamental para o motociclista; por isso, circular sempre com o farol aceso (como exige a lei, de dia e de noite), vestimentas e capacetes de fácil visualização. Coletes e acessórios refletivos também são muito importantes.

Evitar a circulação entre filas de veículos.

Cuidado com a proteção individual, que, em um acidente, dependerá, em grande medida, do uso de vestimentas, luvas, calçados e capacetes adequados – estes últimos fixados adequadamente e, de preferência, do tipo fechado e com viseira.

Desde 1º de junho de 2008, os capacetes devem ter etiquetas refletivas, conforme Resolução Contran 270/08. Lembrando que os capacetes certificados pelo INMETRO podem ter a indicação também de um prazo de troca recomendável quando o capacete não sofreu impacto - geralmente a cada três anos.

No caso de impacto, o capacete deve ser trocado.

Orientar caronas sem experiência sobre como colocar o capacete adequadamente, posicionar-se no banco e apoiar os pés sobre os pedais, além de como se comportar durante o trajeto, segurando pela cintura e acompanhando as inclinações do motociclista.

Em relação à motocicleta, cuidado extra com os pneus, verificando sempre a banda de rodagem e a pressão adequada, a manutenção de todo o sistema de freios e de iluminação e sinalização; ou seja, farol, lanternas, luzes das setas e de freio.

Por fim, é bom lembrar que não cultivar hábitos seguros, além de contribuir para ocorrências de acidentes, muitos com seqüelas, podem trazer penalidades, como as multas. Algumas infrações relacionadas à condução de motos são consideradas gravíssimas no Código de Trânsito Brasileiro, sujeitando o infrator à multa de R$ 191,54, sete pontos, suspensão do direito de dirigir e recolhimento do documento de habilitação. São elas:


.Conduzir sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção, de acordo com as normas e especificações aprovadas pelo Contran.
.Fazer malabarismo ou equilibrar-se apenas sobre uma roda.
.Trafegar com os faróis apagados.
.Transportar criança menor de sete anos ou que não tenha condições de cuidar de sua própria segurança.

Ponto Cego



Parte dos acidentes envolvendo veículos, pedestres, motocicletas e bicicletas, além de objetos imóveis, ocorre porque, em determinado momento, um desses elementos se encontra na trajetória de um veículo, mas fora do alcance de visão do motorista. Está numa área de não-visibilidade, o popular ponto cego. Todos os automóveis possuem pontos cegos, e os riscos de acidentes variam de acordo com o número e o tamanho desses pontos.
Um acidente cada vez mais freqüente em nossas vias está diretamente relacionado à incapacidade do motorista de um automóvel visualizar uma motocicleta que se movimenta em velocidade ao seu redor, passando rapidamente por alguns dos seus pontos cegos. A moto circula entre as faixas, muito próxima dos veículos, escondendo-se no ponto cego do espelho retrovisor externo.
Pensando na questão dos acidentes relacionados à falta de visibilidade do motorista, o Cesvi Brasil realizou um estudo visando a diferenciar os modelos de veículos quanto à visibilidade proporcionada, identificando quais oferecem mais e menos riscos à segurança no trânsito.
Este Índice de Visibilidade leva em consideração a medição e análise das áreas não-visíveis ao motorista, classificando-as de acordo com três principais parâmetros:
• Visibilidade dianteira;
• Visibilidade lateral;
• Visibilidade traseira.
Visibilidade dianteira:
O Cesvi mediu a área encoberta pelas colunas dianteiras, que podem fazer com que o motorista perca a visão de obstáculos quando está realizando uma manobra ou uma curva. Alguns fatores influenciam diretamente na visibilidade dianteira:
• Largura da coluna dianteira;
• Ângulo de inclinação da coluna;
• Adoção de um vigia lateral.
Visibilidade lateral:
É a visão proporcionada ao motorista pelos retrovisores externos, muito relacionada nos dias de hoje com acidentes com motociclistas, que circulam entre as faixas e se instalam nas áreas cegas.
Os fatores que influenciam na visibilidade lateral são os seguintes:
• Tamanho do espelho retrovisor;
• Área convexa do retrovisor dianteiro.
Visibilidade traseira:
Demonstra a medida do ponto cego na traseira do veículo, quando o motorista utiliza o retrovisor interno, não enxergando principalmente crianças de pequena estatura, cones, buracos, provocando acidentes freqüentes quando estes objetos estão próximos ao veículo, a uma distância inferior à necessária para entrar no campo de visão do motorista.
Fatores que influenciam:
• Posicionamento do sistema do limpador do vidro traseiro;
• Disposição do encosto de cabeça dos bancos traseiros;
• Inclinação da parte traseira do veículo;
• Tamanho do vidro traseiro.
Testes realizados com os veículos nacionais estão no site: www.cesvibrasil.com.br
Tecnologias para diminuição dos pontos cegos BLIS (“Blind Spot Information System”) Equipamentos como o BLIS monitoram os pontos cegos do veículo, alertando o motorista com uma luz de aviso próximo ao retrovisor se há algum veículo próximo a ele ou se aproximando do campo não visível do espelho retrovisor. O sistema nada mais é do que um conjunto de câmeras digitais ao lado do retrovisor, que detectam a aproximação de veículos em situações de risco, informando a movimentação de qualquer veículo que esteja numa velocidade 20 km/h inferior ou 70 km/h superior à do seu automóvel. Este dispositivo já é equipado no Volvo C30, no Audi Q7 e no novo Audi A3.
Sensores de estacionamento:
Há iniciativas em outros países voltadas para a implantação de pequenas câmeras na traseira do veículo, que permitem ao motorista enxergar o ambiente antes de executar uma manobra de ré, percebendo, assim, a existência de cones, de plantas, de pequenos muros e, principalmente, de crianças.
No Brasil, alguns veículos já incorporam sensores instalados na traseira que detectam obstáculos no percurso de ré. No caso do veículo estar muito próximo a um obstáculo, um som é emitido, alertando para o perigo de colisão.
Veja vídeo abaixo de um veículo da Ford com sensores de estacionamento:

video

(Clique no Play)

Posição correta do Retrovisor

Os veículos novos vendidos no país, já vêm equipados com três espelhos retrovisores. Mas por quê três? Simples e óbvio: o espelho interno central para enxergar diretamente o tráfego atrás do seu veículo e os laterais para enxergar o tráfego das pistas laterais.





São nos espelhos laterais que estão o maior erro de utilização. A grande maioria dos motoristas posicionam os espelhos laterais de modo a enxergar a lateral do veículo e o tráfego atrás do mesmo.

A posição à 90º é muito pouco utilizada e, por incrível que pareça, isto é causador de muitos acidentes


Existem pelo menos mais 5 bons motivos para manter os espelhos à 90º:

- Você não precisará olhar sobre seus ombros (embora não seja uma má idéia);

- Você dará apenas uma rápida olhada no espelho para ver o ponto cego (sem ter que olhar sobre os ombros e perder alguns segundos da visão à sua frente);

- Ao olhar pelo espelho você manterá a atenção no que está à sua frente;

- Você terá uma visão de 360º do veículo, incluindo os pontos cegos dos espelhos.

- À noite, os faróis de quem vem atrás de você não refletirão em todos os espelhos ao mesmo tempo.

Vale lembrar que muitos espelhos são levemente convexos (curvados) o que aumenta ainda mais a visão perimetral, mas alteram a percepção de distância, fazendo com que os outros carros pareçam estar mais longe do que realmente estão. Além de mais segurança, esta posição dos espelhos a 90º também oferece mais comodidade. Pode demorar um pouco para acostumar-se com a nova posição dos espelhos, mas em nome da segurança, persista um pouco.